O ninho

O ninho

Adoro espaços com muita luz! De dia, agradeço cada raio de sol que ilumina a nossa casa e o nosso atelier – e são muitos – mas, à noite, na sala de estar, raramente temos luz intensa. A não ser que estejamos a ler ou a trabalhar, apenas acendemos um ou outro candeeiro de luz baixa.

Estes, que desenhámos e construímos para a parede, são perfeitos porque nos dão a intensidade certa de luz para criar um ambiente muito tranquilo (a fotografia não é de hoje):


No inverno, acresce a luz dos candeeiros de rua, a que vem da lareira e das gambiarras (sem pisca pisca) e há mesmo noites em que apenas estas nos iluminam.

O nosso ninho, hoje: luz ténue e cheirinho a roupa lavada.

Estamos com um problema muito sério no telhado de nossa casa. As chuvas que caem há dois ou três meses entraram na cobertura, infiltraram-se e estão a causar problemas em diversas divisões do 2.º andar. Estamos a resolver a situação, mas há momentos desesperantes. Tenho a certeza que seria pior, muito pior, se esta sala não nos desse a tranquilidade que estamos a precisar. Valeu cada minuto (e cada cêntimo) investido na sua remodelação, decoração, iluminação e conforto.

E depois de um dia de trabalho, um chá à média luz é quanto basta para prepararmos uma boa noite de sono e o dia de amanhã. Lá fora, pode estar péssimo, mas dentro de nossa casa quem faz o ambiente somos nós. A “chuva” pode teimar em entrar, mas na minha casa mando eu. E eu faço por nunca me esquecer disso…

Boa noite, descansada!
Carlota

Sem comentários

Publicar Comentário