Objetos antigos

Objetos antigos

Acho que gosto mais de casas usadas do que de casas novas. Gosto de casas remodeladas. Gosto mais de casas decoradas com história do que só com objetos comprados especificamente para encaixar nos novos espaços. A nossa casa não é nova e tem muitos defeitos. Há defeitos que nos incomodam e, esses, temos vindo a corrigir, aos poucos, sem pressas. E depois há aqueles que fazem parte desta casa, que denunciam que há e sempre houve vida aqui e que, por incrível que pareça, acho mesmo que fazem parte do seu charme. Na decoração passa-se o mesmo: a maioria dos objetos que decoram as prateleiras e paredes da nossa casa, são objetos que contam histórias, que têm uma vida, que já pertenceram a alguém, ou que nos foram oferecidos por alguém, ou feitos por alguém que tem um nome.

Hoje reparei que temos muito poucas peças decorativas modernas ou compradas por nós. Temos alguns, bastantes, objetos antigos, mas nem por isso a nossa casa tem um ar pesado ou bafiento.
Só nesta estante, ao lado do sofá, temos diversos objetos de épocas passadas, misturados com outros mais recentes… e reparo que isto é o reflexo da nossa casa, o nosso reflexo… e fico feliz que assim seja.

Há por aqui objetos que nos foram oferecidos quando nos casámos; há objetos de artistas, ceramistas e designers (como o candeeiro, o prato, a figura feminina); há uma máquina de projetar que comprámos para passar os filmes antigos em película, dos meus pais; há a minha polaroid com mais de vinte anos, um rádio e uma máquina de calcular antigos; e depois há outros objetos recentes (da Ikea, da La Redoute, da Anna Westerlund) e uma jarra que já foi um frasco de massa (cuja tampa se estragou e que não deitamos fora porque faz parte de uma prenda de casamento).

E isto somos nós, os nossos gostos, os nossos interesses. Não temos muitos objetos – destralhámos muito –, mas o que temos é realmente o que gostamos e o que faz da nossa casa o nosso ninho.

E com este pensamento vos desejo a continuação de uma boa semana e de toda uma vida recheada daquilo que vos faz sentir bem.

(Acho que isto da maratona de artigos até ao Natal vai ser duro, mas vamos a isso, se acharem que vale a pena… Já subscreveram o blog para receberem a indicação de cada novo artigo por e-mail?)

Carlota

4 Comentários
  • EMILIA NAZARETH
    Publicada às 21:39h, 21 Novembro Responder

    Plenamente de acordo! E que linda ficou a decoração1

  • maria Alice da Mota Carvalho Azevedo Fernandes
    Publicada às 14:38h, 22 Novembro Responder

    Parabéns pelas tuas ideias

  • Luísa Barbosa
    Publicada às 06:45h, 23 Novembro Responder

    Bonito, leve, inspirador ! Faz me lembrar os meus 20 anos!
    Tenho muitos objectos desses, daqueles que contam histórias, mas não os posso
    ostentar todos ! O outro lado das mudanças…onde guardar o que não cabe, que
    tem história e de que gostamos?
    Beijinho, Carlota, e bons sucessos!

    • Carlota
      Publicada às 06:42h, 25 Novembro Responder

      Luísa, boa pergunta! Vou pensar nisso para ver se encontro uma boa resposta. 😉

Publicar Comentário