Abajures faça-você-mesmo

Abajures faça-você-mesmo

Hoje, em arrumações no computador, é que percebi a quantidade de candeeiros e abajures que nós já fizemos. Já criámos, já produzimos e já reciclámos uma boa dose deles! Para ser franca, não sei qual gosto mais. Gosto de todos e de cada um no espaço que lhe foi destinado. Faço hoje, aqui, um apanhado só dos abajures e digam-me vocês qual faz mais o vosso género, qual gostam mais.

Este foi o primeiro. Um abajure que fiz para o quarto antigo da Cá. Todo bohemian gipsy e bem alegre.

Lembram-se da nossa intervenção no hostel Impact House? Aqui, substituímos todos os abajures anos 90 por cestinhas do pão variadas, numa alusão ao ato de reciclar.

Formas de pudim em forma de flor foi outra das soluções que encontrámos para abajures originais, numa alusão à reciclagem e à natureza.

A ideia deste abajure, feito a partir de napa entrelaçada, perseguiu-me durante semanas e não sosseguei enquanto não o fiz! Continua no nosso hall para o escritório. É mesmo um dos meus favoritos. Tão distinto!

E este, feito de fios de linha de crochet, lembram-se? Este é dos manhosos! Tem que se colocar bem os fios que seguram o arco para não descair para um dos lados, no final tive que acertar a olho a altura de todos os fios e está sempre a pedir para ser penteado. No interior, em vez de lâmpada, tem umas fairy lights a pilhas, o que lhe dá muita leveza e graciosidade (e permite a sua colocação em qualquer canto da casa, sem precisar de instalação elétrica).

E agora há um, que nunca publiquei, fiz o ano passado para o quarto da Cá, e que também gosto imenso, que é este, feito com franjas. Não ficou muito barato – que as franjas são carotas – mas foi mais uma daquelas ideias que me perseguiram durante semanas e eu tinha que o fazer.

À exceção dos do hostel, todos os outros fiz para aproveitar os nossos velhinhos abajures já manchados pelo tempo (ou pouco engraçados). Talvez por ter sido eu a fazer cada um, não me consiga decidir por qual gosto mais. São todos especiais e isso é o que acontece quando somos nós a fazer algo. É nosso, saiu da nossa cabeça e das nossas mãos, deu-nos trabalho, arreliou-nos, e deu-nos gozo!

Aqui ficam para vocês. Pode ser que vos inspirem. Levem, copiem, melhorem e depois digam-nos como ficou. Se quiserem ver como fiz, procurem aqui no blog por “candeeiro” e aparecerão todos os artigos relativos a estes candeeiros.

Este artigo é o primeiro de uma decisão tomada recentemente: todas as quintas-feiras haverá artigo novo no blog. Parece-vos bem? É uma decisão ambiciosa, mas vou tentar. Há outras decisões como esta mas, dessas, falarei depois, a seu tempo.

Bejufas e abruças,

Carlota

2 Comentários
  • Andreia
    Publicada às 08:30h, 23 Março Responder

    Adoro os das cestas de pão!
    Realmente, nunca tinha pensado em como há tantos itens que podemos reciclar/reutilizar usando-os como abajures!
    Beijinhos,
    Andreia

    • Carlota
      Publicada às 21:27h, 27 Março Responder

      Olá, Andreia! Eu já vejo abajures em tudo quanto é coisa!
      Carlota

Publicar Comentário