Arrumação

E pronto! Custou mas ficou! Os dias frios, escuros e chuvosos não foram entusiasmantes para terminar logo esta tarefa, mas eis que um sábado nublado foi motivador o suficiente para me empurrar para a oficina e terminar o que já há algumas semanas tínhamos começado!       Gavetas velhas encerram cartas antigas; a minha jarra do coração (prenda de casamento), traz trinchas e pincéis na cabeça (como eu).     Esboços, desenhos e rabiscos soltos — que se encontram por aqui em pilhas e pilhas de papel! — organizados em placas de contraplacado, voltam à vida!     O resto, já conhecem, daqui. Agora que tudo tem o seu lugar, as obras podem continuar. É que esta divisão já foi um quarto e uma casa de banho "mal amanhados". O Eme já fez muito aqui! Mandou paredes abaixo, destruiu a casa de banho,  fez uma porta nova, construiu as bancadas, isolou as paredes com lã de rocha e forrou tudo a madeira, entre muitas outras coisas que já nem me lembro! Sózinho, o pobrezinho! Falta terminar a porta de entrada e outros pequenos pormenores. Tudo se fará...

Um destes dias, embora não tenha partilhado aqui, resolvi atirar-me ao closet (existe em português uma palavra para isto, que não roupeiro?). Desta tarefa saiu roupa para lavar, roupa para dar e roupa/acessórios para deitar fora. Cheguei à conclusão que partilhar o espaço da roupa de vestir com a roupa de cama e wc não me agrada. Conclusão: EME, PRECISAMOS DE UM ARMÁRIO PARA A ROUPA DE CASAaaa!!! Procurámos o armário ideal, procurámos e procurámos...

Quem disse que numa gaveta grande é muito mais fácil manter as coisas arrumadas? Pois na gaveta da roupa interior do Eme reina(va) sempre grande confusão. A culpa não é dele. As peças pequenas em espaços grandes "voam" de um lado para o outro, desdobram-se e afastam-se do seu par. Confesso que nunca me ocupei muito a resolver esta questão porque divisórias de gaveta e caixinhas para guardar coisas sempre fizeram muito mais o meu género do que o dele. Só que...

Os planos para o fim-de-semana vão sempre muito para além do tempo disponível para os concretizar. Ainda assim, não me sinto frustrada. Foram dois dias muito produtivos: almoço em família, compras para a despensa, "jeitinho" no hall de entrada, que mais parecia o Depósito dos Sapatos (implica arrumos por baixo das escadas e telheiro à entrada de casa), corri os meus primeiros 5kms, hoje de manhã - uhuuuuu! - e...

O atelier, o espaço onde passamos a maior parte do nosso tempo, é todo o rés do chão da nossa casa. Adquirimos esta área mais tarde, com o propósito de instalar aqui o nosso local de trabalho e, desde então,  tem estado em constante mudança. Há sempre novidades por cá! Uma canseira...

A nossa sala é local de chegada, local de passagem, local de estudo, de refeição, de criação, de leitura e de descanso. Vivemo-la muito intensamente e, por essa razão, era frequente vermos uma série de objetos desarrumados - as malas, os casacos, os telemóveis, o portátil, o tablet, todos os respetivos carregadores, um verniz (que serviu para pintar as unhas em frente à televisão), uma fita-cola, um lápis e uma borracha (que serviram para o estudo), os livros (que sairam da mochila e que amanhã não vão à escola), os blocos de apontamentos...