Dica

Criar é tão importante para ela como respirar. Esta artista de grande sensibilidade e talento habita um mundo muito seu, onde se refugia constantemente, de onde só sai quando lhe é pedido e onde é permitida a entrada de um ou outro convidado selecionados. O seu universo é povoado de pequeníssimas reproduções da realidade e do quotidiano - utensílios domésticos,  comida e produtos de consumo diário -, por isso, esta obra que hoje partilhamos é especialmente invulgar e pouco característica do seu trabalho, mas uma das nossas favoritas. Aqui, aventurou-se no uso de materiais naturais para recriar aquela que será para si uma "grande figura" de 20x20cm, a que chamou "O pássaro". Esta ave está cá em casa, já tem o seu local próprio e resta-nos agora dar-lhe a devida proteção para que não se estrague devido à fragilidade das folhas, elementos naturais que compõem as asas.         Podíamos enganar alguém, dizendo que adquirimos esta obra junto de uma artista de referência, mas não foi. Esta figura de barro, folhas secas e penas de pássaro foi criada pela nossa Ca e, acreditem, há muitos artistas como ela, da sua idade, com a sua alma criativa e generosa, por aí. Este ano, durante o verão, a Ca participou numas atividades de férias. Para casa trouxe um sem número de peças e trabalhos feitos durante a atividade. À primeira vista tratava-se de mais umas pinturas, desenhos e outras "criações", como tantos e tantas que já temos e como outros tantos e tantas que fomos obrigados a descartar ao longo dos anos. Durante dias, estas peças ficaram a um canto da sala, à espera de uma solução de arrumação...

O resto desta semana vai ser dedicado ao x-ato, uma ferramenta que consideramos imprescindível em todas as casas (e que já colocámos na nossa galeria de favoritos). Por aqui, temos mais de uma dezena deles! Fomos comprando ao longo dos tempos e, mesmo assim, quando precisamos de um...

Têm-nos perguntado onde compramos a madeira com que fazemos os nossos projetos, onde arranjamos uma boa tinta para paredes, onde adquirimos as nossas ferramentas e, por isso, resolvemos fazer este artigo – as cinco lojas que mais frequentamos e onde fazemos muitas das nossas compras. Não quer dizer que esta listagem não venha a mudar. É natural que, de hoje para amanhã, descubramos outras que fornecem os mesmo produtos, com a mesma qualidade e a preços mais baratos...

Não é preciso ser-se "totó" para desconhecer a diferença, na prática, entre uma aparafusadora e um berbequim! Basta que nunca se tenha precisado destas ferramentas; basta que se tenha adquirido recentemente a primeira casa; basta que, finalmente, nos tenhamos decidido a poupar algum dinheiro não chamando um "mestre de obras" para nos colocar um quadro; ou basta até que a pessoa que habitualmente fazia isso em casa, já não o faz mais...

Há uns 15 anos, numa passagem de ano em casa de um amigo, conversávamos na sala e preparávamos um fondue, enquanto o óleo aquecia na cozinha. Conversa puxa conversa, nunca mais nos lembrámos do óleo, que aqueceu tanto que incendiou. Quando, da sala, vimos o clarão que saía da cozinha, corremos para lá e já as chamas corriam por debaixo do armário de parede. Aflitos, tentámos resolver o problema como podíamos e só me lembro de alguém dizer "não deitem água, abafem o fogo!". Assim fizemos, já não me lembro como, mas houve certamente bastantes estragos. Ninguém está livre de um pequeno incêndio, sobretudo na cozinha. Conscientes disso, temos na nossa uma manta corta-fogos (ou manta ignífuga ou cobertor anti-chamas). Talvez tenhamos comprado numa dessas conhecidas lojas de bricolage ou no Ikea. Existe em vários locais e com vários tamanhos e preços, mas não é muito caro e vale o investimento já que é muito eficaz para sufocar pequenos incêndios.     Temos que arranjar outra para o carro...

Outra tarefa que podemos aproveitar para fazer, quando estamos sem disponibilidade para empreitadas maiores, é tirar de casa, das garagens, dos arrumos ou dos jardins, aquilo que atravanca, está avariado ou não tem mais uso e é demasiado grande para deitar no contentor do lixo. Há coisas que andam por aqui há imenso tempo por não sabermos o que fazer com elas. Depois de destralharmos a oficina, ficámos com uma série de madeiras velhas e outros materiais num canto do jardim, à espera de solução. Alugar um contentor não faz sentido e fica caro, colocar no lixo também não é possível...

As echeverias preferem ser regadas por cima e até gostam daquela gotinha de água que fica retida no centro das folhas, por isso, também são conhecidas por Rosa Pérola. A terra húmida apodrece as suas raízes e causa o aparecimento de doenças. Mas, atenção, não devemos regar na hora de maior calor, pois as gotas de água nas folhas aquecem demais e "cozem" a planta. É por esta razão que estas que temos no jardim estão tão viçosas e a dar flor...