Jardinagem

E aqui está o nosso trabalho do passado fim de semana – a substituição da velha vedação do jardim (em pvc e rede) por uma de madeira, mais bonita e natural. Fez tudo parte de um acordo com o vizinho, em que um fornecia os materiais e o outro a mão-de-obra. E correu tão bem, que resolvemos estender a outras zonas do jardim! Já antes tínhamos colocado vedação em madeira numa pequena área ao lado, que dava para a rua, mas foi tão trabalhoso que nos ficámos por esse pedaço. Desta vez, encontrámos no Brico Depôt esta, tão simples de fazer! Publicámos algumas imagens no Instagram e, como recebemos vários pedidos de informação, aqui fica o passo a passo como colocámos a nossa vedação no jardim   Primeiro, retirámos toda a velhinha vedação e colocámos um prumo de um dos lados do muro. Estes prumos são ótimos pois é onde encaixam, de forma muito simples, as ripas horizontais. Depois,  marcámos o sítio onde iria ser colocada a ferragem que segura os prumos seguintes e, como o muro não é direito (nunca são!), desbastámos um pouco, nivelámos e aparafusámos a peça. Em seguida, cortámos dois prumos com a altura pretendida e unimos um ao outro, aparafusando. Encaixámos na peça de metal, nivelámos, medimos, também, em cima com uma ripa horizontal, e aparafusámos os prumos. Presos os prumos, de um lado e do outro, é só ir encaixando as ripas horizontais. E vai-se fazendo assim até chegar ao final do muro. Altura em que se coloca o último prumo. Agora, as ripas horizontais terão que ser cortadas com a medida que resta. E chegámos ao final do muro! No entanto, reparem que o acabamento superior não é muito bonito, pois ficou com o encaixe das ripas visível e acima dos prumos (que tinham que ter a altura do portão e da vedação lateral). Então, cortámos o excesso da última ripa e boleámos, para um acabamento mais bonito. No entanto, também existem uns remates para colocar no final, caso pretendam. No final, envernizámos com verniz de exterior, na cor mogno...

O macramé voltou a entrar nas nossas casas e os vasos suspensos também! Adoro esta forma de trabalhar o espaço em altura e a leveza que lhe conferimos, deste modo. Já não é a primeira vez que opto por esta solução e os primeiros vasos que suspendi estão aqui. É a coisa mais fácil do mundo! Sim, e isto inclui furar o teto e colocar um camarão. Também se podem suspender num varão de cortinado, numa prateleira, numa pérgola ou árvore,...

Bom dia! Bom sábado! Bom fim-de-semana, cheio de sol e calor! Ontem, estava eu muito bem a andar pelo atelier quando vem o Sr. Luke numa correria desenfreada, passa-me por entre as pernas que nem um louco e atira-me uma delas contra a parede!!! Dei cabo do dedo mindinho...

Ora, como resolvemos dedicar esta semana às plantas e ao jardim, resolvi partilhar o que me inspira e me faz sonhar. Desta vez, não falo no plural, não incluo o Eme nem a Ca neste artigo, pois estas são mesmo as minhas opções. Espero que vos inspirem também! Começo pelo meu programa favorito do momento: Silence, ça pousse! Costumo assistir às temporadas mais antigas no canal MCS LifeStyle, logo de manhã, enquanto vou despertando para a vida lá fora, mas já percebi que no site do programa estão os episódios mais recentes, embora sem tradução e legendagem...

Um destes dias, as nossas batatas doces, esquecidas no cesto das batatas, começaram a grelar. Achei a folha tão verdinha, tão bonita — em forma de ♥ — que coloquei a batata em água e deixei que continuasse a crescer.  Entretanto, levei outra para a escola, onde dou aulas de artes a crianças, e acompanhámos o seu crescimento à medida que a íamos desenhando. A alegria dos meus meninos a cada semana que passava e as hastes aumentavam!!! As aulas acabaram e tive que trazer a nossa plantinha para o atelier. Arranjei o sítio perfeito para ela e adoro tê-la ao meu lado!   Durante anos ignorei os vasos suspensos, que associava muito às casas das avozinhas e aos anos 80, mas eles voltaram, estão na moda e não é que os vejo, agora, de outro modo? Acho que dão leveza, dinamismo e outra dimensão aos espaços. Entretanto, satisfeitos com o resultado, estamos a preparar outras soluções a custo quase zero, que partilharemos ainda esta semana ;-)...

As echeverias preferem ser regadas por cima e até gostam daquela gotinha de água que fica retida no centro das folhas, por isso, também são conhecidas por Rosa Pérola. A terra húmida apodrece as suas raízes e causa o aparecimento de doenças. Mas, atenção, não devemos regar na hora de maior calor, pois as gotas de água nas folhas aquecem demais e "cozem" a planta. É por esta razão que estas que temos no jardim estão tão viçosas e a dar flor...

Após uns dias chuvosos – que o nosso jardim agradece e nós também! – parece que no domingo o sol já vai espreitar, iluminando os nossos corações -> Dia dos Namorados, não esquecer. Namoradas, se eles não vos oferecerem flores, não tem nada que saber, façam como as mulheres da minha família, comprem-nas vocês e depois digam que é prenda deles! Todos ficam felizes ♥ Deste modo, com ou sem namorado/a, deixo aqui uma boa sugestão (experimentada) para o fim de semana: ir ao mercado e comprar umas florzinhas lindas e cheirosas para animar os nossos dias. Terapia garantida, acreditem! No passado sábado fui ter com uma amiga a Alcântara. Enquanto fazia tempo resolvi entrar no mercado, já com a fisgada de trazer flores para a casa. Nunca fui grande coisa nos arranjos florais, "mas umas flores bem bonitas nem precisam de arranjo", pensei. Já não comprava flores há anos, maldita crise!, e sempre gostei deste ritual de sair cedo de casa ao sábado de manhã e ir ao mercado. Fi-lo em Alcântara, mais tarde quando vivia no Saldanha, depois na Amora...