DIY

Um destes dias, as nossas batatas doces, esquecidas no cesto das batatas, começaram a grelar. Achei a folha tão verdinha, tão bonita — em forma de ♥ — que coloquei a batata em água e deixei que continuasse a crescer.  Entretanto, levei outra para a escola, onde dou aulas de artes a crianças, e acompanhámos o seu crescimento à medida que a íamos desenhando. A alegria dos meus meninos a cada semana que passava e as hastes aumentavam!!! As aulas acabaram e tive que trazer a nossa plantinha para o atelier. Arranjei o sítio perfeito para ela e adoro tê-la ao meu lado!   Durante anos ignorei os vasos suspensos, que associava muito às casas das avozinhas e aos anos 80, mas eles voltaram, estão na moda e não é que os vejo, agora, de outro modo? Acho que dão leveza, dinamismo e outra dimensão aos espaços. Entretanto, satisfeitos com o resultado, estamos a preparar outras soluções a custo quase zero, que partilharemos ainda esta semana ;-)...

Começou por ser trabalho e, às tantas, era diversão. Ainda na senda da organização e arrumação dos materiais escolares que serão reutilizados para o ano, houve necessidade de arranjar uma caixa para colocar os riscadores, borrachas, afias e outros pequenos objetos de trabalho.     Como o local de estudo é na sala, e é aqui que mantemos os materiais, tinha que ser uma caixa que se enquadrasse na decoração. Desta vez, não queria gastar dinheiro a comprar mais uma "toda gira", até porque acabamos por nos cansar delas e remetê-las para os arrumos, mais cedo ou mais tarde. Assim, ainda inspirada num trabalho que fiz há pouco tempo, com os meus alunos de artes, a preto e branco, resolvi avançar para esta solução, reciclando caixas de cartão.     Assim, obtivemos uma solução com sentido de humor, infantil (mas não infantiloide!), que pode perfeitamente fazer parte da decoração dos espaços comuns da nossa casa. Fica aqui, como fizemos:   DIY   A tinta preta, é uma tinta de parede de secagem rápida, que tínhamos por cá. Bastou uma demão. Normalmente, não sou fã de decorações com ursinhos, mas este encantou-me...

Quando mudámos para esta casa, que data do início dos anos 80 (a casa, não a mudança!), um dos pequenos grandes pormenores que quisemos logo alterar foram as tampas das caixas de estore, que estavam velhas, feias, com várias camadas de tinta e davam um ar pesado à casa. Esta nuvem, que está no quarto da Ca, foi uma das primeiras obras de bricolage a que nos atirámos e ainda hoje lá está...

Ora aqui está! Um cabide! Esta ideia andava a moer-me há demasiado tempo! Há mais de um ano que guardo, na minha sala, madeiras velhas que foram retiradas de uma palete. Aposto que já muita gente que lá entrou se perguntou "mas por que raio tem ela este lixo aqui?"...

Uma vez, na Alemanha, vi uns abajures numa montra tão lindos, que nem consigo descrever!!! Feitos com vários tecidos e aplicações e de vários formatos, muito alegres e kitsch! Um dia, para o quarto da Ca, inspirada nesses, fiz este! É diferente dos que vi na Alemanha, mas gosto muito dele! É feminino, colorido, alegre...

Este cachepot já pertenceu à mãe do Eme, veio cá para casa há uns anos e já abraçou muitos vasos com plantas diferentes. No outro dia, olhei para ele com aquele olhar de quem lhe vai dar um destino final. Achei que já tinha tido o seu papel nesta casa, estava velho e estragado - a base a soltar-se, o alumínio muito amassado...