Quando mudámos para esta casa, que data do início dos anos 80 (a casa, não a mudança!), um dos pequenos grandes pormenores que quisemos logo alterar foram as tampas das caixas de estore, que estavam velhas, feias, com várias camadas de tinta e davam um ar pesado à casa. Esta nuvem, que está no quarto da Ca, foi uma das primeiras obras de bricolage a que nos atirámos e ainda hoje lá está...

Ora aqui está! Um cabide! Esta ideia andava a moer-me há demasiado tempo! Há mais de um ano que guardo, na minha sala, madeiras velhas que foram retiradas de uma palete. Aposto que já muita gente que lá entrou se perguntou "mas por que raio tem ela este lixo aqui?"...

Mais uma planta que podemos apanhar perto de casa. Tem uma cor linda, não tem? Descobri que se chama soagem ou chupa-mel e que pode causar irritação em peles mais sensíveis quando manuseada. Por acaso, desconfiei quando a vi — fez-me lembrar uma urtiga, pois tem o caule peludo — e usei luvas e tesoura  (como faço sempre com estas invasivas, das quais desconheço a toxicidade). Também não faço questão de chegar o nariz a qualquer flor e cheirar...

E o que fazem umas unhas cor-de-rosa com um berbequim, uma serra elétrica (!), uma madeira velha e uns quantos ferranchos, sem Eme por perto?! Sugestões? Ui! Perigo! Fica o teaser...

Pois, na realidade, nesta casa somos mais do que três. Contando com a Mifi e o Luke, somos cinco a sujar! Os gatos habitam no atelier, local onde passamos a maior parte do dia. São a nossa companhia, a companhia dos nossos colaboradores e, nas horas de maior aperto, são quem nos ajuda a descontrair...