Adoro duas palavras em inglês: breathtaking e overwhelming (em português, "de tirar o fôlego" e "esmagador"). E é só isto que me ocorre quando dou de caras com obras como esta!     Precisão, é outra palavra que me ocorre, enquanto admiro estas "rosas" em espiral...

Uma vez, na Alemanha, vi uns abajures numa montra tão lindos, que nem consigo descrever!!! Feitos com vários tecidos e aplicações e de vários formatos, muito alegres e kitsch! Um dia, para o quarto da Ca, inspirada nesses, fiz este! É diferente dos que vi na Alemanha, mas gosto muito dele! É feminino, colorido, alegre...

  A pedido de "várias famílias", de vez em quando partilharemos os nossos artistas favoritos. Hoje, deixamo-vos um link de uma parisiense muito inspiradora! Gaele Renard-Werner, que recicla, recria, reinventa e faz um trabalho surpreendente!     As fotografias foram retiradas do blog. Facebook....

Ora aqui fica partilhada mais uma coisa que aprendemos: Enquanto estivermos a usar uma determinada tinta ou verniz, entre demãos, para não estarmos sempre a lavar o rolo, podemos guardá-lo dentro da lata. Só temos que a fechar bem e, quando quisermos voltar a usar, "pescá-lo" com o braço do rolo. Esta dica torna-se ainda mais preciosa, se estivermos a usar tinta de esmalte ou verniz solvente, em que temos que usar diluente!...

E pronto! Custou mas ficou! Os dias frios, escuros e chuvosos não foram entusiasmantes para terminar logo esta tarefa, mas eis que um sábado nublado foi motivador o suficiente para me empurrar para a oficina e terminar o que já há algumas semanas tínhamos começado!       Gavetas velhas encerram cartas antigas; a minha jarra do coração (prenda de casamento), traz trinchas e pincéis na cabeça (como eu).     Esboços, desenhos e rabiscos soltos — que se encontram por aqui em pilhas e pilhas de papel! — organizados em placas de contraplacado, voltam à vida!     O resto, já conhecem, daqui. Agora que tudo tem o seu lugar, as obras podem continuar. É que...